"O escuro anterior"

6,73 €

Descrição

“Depois de Rui Knopfli, Sebastião Alba e José Craveirinha, Luís Carlos Patraquim (nascido em 1953, na então Lourenço Marques) é provavelmente o maior poeta moçambicano.
Patraquim tem uma arte poética bem calibrada, capaz de escrever poemas curtos muito expressivos e quase expressionistas, verbalmente densos e imprevisíveis, com uma aposta imagística eficaz. São poemas a que podemos aceder apenas pela sua força verbal, estribada também numa repetição quase ritualística e num sentido rítmico notável.” Pedro Mexia

Sobre o autor: Luís Carlos Patraquim (Maputo (1953)
Poeta, dramaturgo, guionista e jornalista, com vasta obra publicada. Destaques: Monção, A Inadiável Viagem, Vinte e Tal Novas Formulações e Uma Elegia Carnívora, Mariscando Luas (com Ana M. Leite e Chichorro), Lidemburgo Blues, O Osso Côncavo e Outros Poemas, Pneuma, Canção de Zefanias Zforza, Antologia Poética (Brasil) ou a antologia Matéria Concentrada (Maputo, N’djira, 2011).
Como redactor/roteirista: jornal cinematográfico Kuxa Kamena, vários documentários no Instituto Nacional de Cinema, de Moçambique, filmes O Tempo dos Leopardos, de Licínio Azevedo, A Tempestade da Terra, de Fernando Silva, diálogos e colaboração em O Gotejar da Luz, de F. Vendrell, Contos Populares da Lusofonia (série vídeo), de Luís Beja, com António Cabrita, adaptação do livro de Mia Couto Um Rio Chamado Tempo, Uma Casa Chamada Terra (em preparação) e com Licínio Azevedo, Comboio de Sal e Açúcar (em preparação).
Para o teatro escreveu, entre outras, as peças Karingana Wa Karingana, Vim Te Buscar, Tremores Íntimos Anónimos (com A. Cabrita), No Estaleiro Geral e As Mulheres d’Água.

 

Ano: 2013

Editora: Companhia das Ilhas 

Colecção: Transeatlântico

Género: Poesia

Idioma: Português 

Dimensões: 11x15cm

Número de páginas: 48

Capa Mole